terça-feira, 18 de junho de 2013

Grupo no Facebook posta fotos antigas de Limeira


Com a proposta de compartilhar fotos antigas da cidade, o funcionário público Danilo Lázaro Barbosa, mais conhecido como Juka, criou o grupo "Apaixonados por Limeira" na rede social Facebook. Em cerca de um mês, o número de membros já beira a mil.
"Foi uma surpresa muito grande porque o número de membros cresceu muito rápido. Inicialmente, eram pessoas mais velhas, de 70, 80 anos que entraram, e depois, os de 60, 50 anos, e agora, a juventude também participa", fala o servidor.
A ideia do grupo surgiu após Juka ganhar de um amigo cerca de 100 fotos antigas da cidade. Inicialmente, ele postou algumas imagens na sua página pessoal da rede social. "As pessoas começaram a compartilhar as fotos, queriam me adicionar e outros amigos sugeriram criar o grupo", explica. Ele estima que, na última semana, de 20 a 30 fotos foram postadas por dia. Os pedidos de pessoas para entrar no grupo também surpreende, uma média de 40 diariamente.
Na opinião de Juka, o sucesso da página se deu pela necessidade das pessoas em resgatar a cultura e história de Limeira. O modo que ele encontrou para fazer isso foi na rede social. "Acredito que o que nós temos à disposição, precisamos aproveitar e está sendo uma ótima ferramenta", diz. "As pessoas vão se identificando com os lugares, as pessoas que estão na foto e vão contando suas histórias", relata.
Os membros podem postar fotos de arquivo próprio para os outros participantes, compartilhar e salvar as outras imagens, além de comentar. "Só não pode usar a página para fins políticos", diz Juka. "Ela é voltada para diversão, cultura, história, reencontro de amigos e novas amizades", completa.

HISTÓRIAS ESQUECIDAS

O aposentando Roque Batista, de 66 anos, foi um dos amigos que incentivou Juka a criar a página. Batista, assim como Juka, possui muitas fotos de Limeira e sempre se interessou pela história da cidade. "A ideia é divulgar nossas coisas antigas que foram se perdendo", diz o aposentado. Ele fica em média seis horas por dia conectado no Facebook, a maior parte do tempo apenas respondendo perguntas e dando informações sobre as postagens. "Sempre me interessei pela história de Limeira e tive o cuidado de guardar isso na memória", fala.
Batista conta em seus comentários muitas histórias que até os limeirenses mais velhos desconhecem. "Por exemplo, poucas pessoas sabem que JK (Juscelino Kubitschek) esteve em Limeira em 1964 ou 1965, a convite de Sebastião Fumagalli para ser padrinho de casamento da filha dele", relata.
Outra história, que segundo ele, também rendeu muitos comentários e "curtidas" na página "Apaixonados por Limeira", foi uma foto do Jardim Mercedes. "Este bairro surgiu porque a Mercedes Benz comprou toda a área que pertencia ao doutor Trajano (Camargo de Barros) para instalar uma fábrica de montagem de caminhões, mas a empresa não foi autorizada a se instalar e as terras foram loteadas" conta.
Uma foto postada do obelisco da praça Toledo Barros também revelou informações pouco conhecidas. Segundo comentário do próprio Batista, o monumento foi construído em comemoração ao primeiro centenário da Independência do Brasil, em 1922. Embaixo dele estão documentos da época, fotos, jornais, revistas e outros materiais relativos aquele tempo e deverá ser aberto após 100 anos, ou seja, apenas em 2022 como uma "cápsula do tempo".

'FIGURAS'
Assim como Juka e Batista, a maior parte dos membros do grupo "Apaixonados por Limeira" deixa aflorar o mesmo sentimento: o saudosismo. Alguns personagens, que os mais jovens podem ter ouvido falar de conversas com os pais ou avós, ganham vida com as fotos. O "Baiano", que recolhia ingressos no Cine Vitória, é lembrado como aquele que não percebia as carteirinhas de estudantes adulteradas. O "Pedro Louco", um andarilho da cidade também está na página, assim como o Luisinho Pipoqueiro, que nos anos 1960 vendia pipoca na praça Toledo Barros; o Lucas do Pinho, que vendia pinhão na rua de bicicleta e era conhecido pelo "Pim...Pim...", e ainda, a Maria dos Cachorros.
Na opinião de Juka, alguns dos membros são pessoas de Limeira que, em algum momento da vida, deixaram a cidade. "Muitas pessoas que saíram da cidade se juntaram ao grupo para matar a saudade e se envolvem emocionalmente com as fotos", fala.
Para Batista, os mais interessados nas imagens e no resgate das memórias são as pessoas mais velhas. "Os mais saudosistas são os mais interessados e eu acredito que a nossa história está se perdendo e isso me aborrece muito", opina. "Tenho esperança de que mais jovens se interessem em saber como era Limeira antes", completa.
Juka, fundador do grupo, não conhece membros como Batista ou Leila Folli Rossi, que o incentivaram a fazer a página. "Mas sei que um encontro pessoalmente será inevitável e pretendo fazer uma confraternização futuramente. Se o grupo continuar a crescer do jeito que está, o encontro terá que ser no Limeirão", brinca o funcionário público. 

Fonte: Jornal de Limeira (aqui)

Um comentário:

  1. Nesta foto ainda podemos ver a antiga Ponte dos Suspiros, "viaduto de escadas", o Viaduto Santa Cruz, a antiga fábrica papelão do Ribeiro Parada e dos dois quarteirões de casas no entorno, lado direito, do Grupo Escolar Leovegildo Chagas Santos, demolidos pela especulação imobiliária e desmandos do prefeito e dos vereadores da época.

    ResponderExcluir